Você sabe identificar um cliente "ruim"?

Expectativa: essa é uma das principais palavras que mexemos com nossos clientes. Afinal de contas, sabemos que nossa relação no ramo de construção civil é complicada já que envolve decisões financeiras importantes que podem influenciar no “humor” do seu cliente.


Podemos citar diferenças entre clientes ruins e clientes difíceis. No caso do cliente complicado, é sempre aquele que envolve muitos questionamentos, sempre fica dando palpites na obra ou no projeto, aquele que quer participar de absolutamente tudo que acontece mas mesmo assim você conseguirá trabalhar com ele.

Já o cliente ruim ou desagradável, é aquele que você muitas vezes deve demitir, que te menospreza, não te respeita, que quer negociar tudo, que pede por coisas que são fictícias, impossíveis de serem concluídas ou realizadas.

Como identificar esse tipo de cliente então?

Tempo

Todos sabemos que mudanças repentinas no projeto ou imprevistos na obra podem acontecer, mesmo com as sugestões realizadas pelo cliente. Isso não é incomum. Porém, qual a frequência que isso pode acontecer? Você precisa identificar se existe uma relação abusiva do cliente pedindo por modificações no projeto/obra. Isso pode tomar o seu tempo e todos sabemos que tempo está totalmente relacionado ao nossos honorários nessa área.



Por isso é importante que nas reuniões iniciais assim como no contrato de prestação de serviços esteja claro a quantidade de alterações no projeto e também o custo para cada uma quando não prevista no contrato.

Não trabalhe de graça, não pague para trabalhar.

Cliente “Mandão”

Com certeza a opinião do seu cliente deve ser levada em consideração, mas você já teve contato com aquele que quer ditar seu trabalho em todas as situações? Nunca se esqueça que é você quem possui o conhecimento e que é o expert. Você é o especialista e deve agir como tal.


Você foi contratado por conta do seu conhecimento, suas experiências, suas praticas no mercado, seu relacionamento com fornecedores, suas indicações. Se seu cliente rejeita suas orientações a todo momento e impõe as dele, esse cliente não é para você.

Menosprezo

A valorização do nosso trabalho é muito importante para um bom relacionamento entre cliente e prestador de serviço. O problema é que existem aqueles clientes que a todo momento aparecem com frases como “nossa, que caro por um projetinho...” ou “ essa mudança no projeto você consegue fazer rapidinho, né? Nem é muita coisa...”



Fuja desse cliente enquanto puder, você não deve trabalhar com esses clientes que não valorizam a sua expertise.

É fácil identificar esse tipo de cliente que sempre anda fazendo comentários que diminuem o seu trabalho, fala mal de outros profissionais e/ou te trata com desrespeito. Se seu cliente é assim, é hora de demiti-lo.

Transparência

Premissa básica para um bom funcionamento de um relacionamento entre prestador de serviço e cliente. Essa comunicação não pode falhar, nem pela sua parte e muito menos pela parte do seu cliente. Se isso acontecer, algo ruim está acontecendo.


Muitas vezes seu cliente economizou por anos para realizar esse sonho de uma reforma ou construção. Por isso, é importante incluí-lo a todo o momento no processo e vice-versa evitando desacordos durante a realização do projeto ou obra. Sempre opte por conduzir uma boa comunicação entre as partes e se você notar que seu cliente não está disposto a isso, tenha certeza que você terá problemas no futuro.


O que importa é que, além do valor monetário não esquecer dos valores interpessoais das relações e tente, sempre ao máximo, prestar atenção aos detalhes.

Esses são alguns sinais que podem ser conferidos quando você identifica um cliente potencialmente ruim. Fique atento pois eles podem surgir em graus e situações diferentes.


Geralmente, uma boa conversa com seu cliente pode alinhar todos esses pontos e você pode transformar esse seu cliente que é ruim em um cliente em potencial.